Foto: Arquivo Nalu Pelo Mundo
Na melhor X Na piorÁfricaÁsia
13/11/2017 | Nenhum comentário

As aventuras de Nalu pelo mundo

Isabelle Nalu é um caso raro, afinal, você já ouviu falar de quantas crianças de 10 anos que conhecem mais de 40 países? Ela cresceu viajando porque o pai, o surfista Everaldo ‘Pato’ e a mãe, a cinegrafista Fabiana Nigol, continuaram na rotina de buscar boas ondas e conhecer novos lugares, mesmo com um bebê.

Pato com roupa de neoprene, ajoelhado ao lado da prancha, Nalu ainda bebê na prancha e a mãe, Fabiana, segurando do outro lado Blog Vem Por Aqui

A coisa foi ficando cada vez mais profissional (e a rotina de viagens mais intensa) à medida que os programas de televisão da família se tornaram um sucesso.

Entrevistei a pequena no ano passado para uma matéria de Dia das Crianças e aproveitei para saber qual a melhor e a pior experiência que ela já teve numa viagem. Repertório não falta. Nalu andou por aí de avião, helicóptero, barco, trem, carro e agora circula pela Europa de bicicleta.

Mosaico com fotos de viagens da família, todos em cima de uma picape, Isabelle diante do painel de um aeroporto, os três num helicoptero, Isabelle deitada numa estrada em frente a duas bicicletas e Isabelle com uma câmera na proa de um barco Blog Vem Por Aqui

Ela conhece lugares tão diversos como Havaí, Cidade do Cabo, França, Peru e Dominica.

Mosaico de fotos de Isabelle em países diferentes: com flor no cabelo segurando placa onde está escrito Aloha Hawaiian Islands, com a mãe diante de um tuk tuk no Peru, pequena com a mão no rosto como se estivesse falando com estátuas que adornam parede atrás dela, pulando diante da torre Eiffel, apontando para os nomes de uma placa com várias cidades do mundo Blog Vem Por Aqui

Além de ser praticante esportes de todo tipo como surf, jetsurf, skate, snoboard, mergulho…

Mosaico de fotos da Isabelle praticando vários esportes: numa prancha de jetsurf, numa pista de skate em cima de um, no mar com pés de pato em frente a mãe, com uma prancha de surf andando e no snowboard Blog Vem Por Aqui

Não é à toa que o tédio é um dos seus maiores rivais.

Na Melhor

Para quem é tão ativa e cresceu conectada à natureza, o contato com os animais tem um prazer especial. Por isso, ao falar da experiência que mais gostou, um país ganhou fácil a disputa.

África do Sul, a gente ver os animais soltos é incrível! Tanto pra criança, quanto adulto...eu fiquei muito feliz, foi emocionante! Uma coisa que eu não tinha visto em nenhum lugar, em nenhum país que eu já viajei. Foi realmente demais, inesquecível! Quero voltar.”

Nalu de costas, dentro de um carro, olhando o elefante passando Blog Vem Por Aqui

E faz outras considerações que podem ajudar a convencer que ainda não sente muita afinidade pelo continente africano.

A África do Sul é maravilhosa, é preparada pro turismo, o povo é bacana, ao mesmo tempo tem luxo. Eu amei!”

Adriana Setti tem ótimas instruções para quem quer fazer safáris num esquema ostentação ou de um jeito econômico.

O Mil e Uma Viagens traz sete boas dicas para quem vai visitar o país.

Leia aqui o relato de uma viajante que amou Joanesburgo. E o Passaporte Aberto fez um ótimo roteiro de quatro dias pela Cidade do Cabo.

Na Pior

Alguns dos piores momentos vividos pela Belinha nas viagens podem estar passando, agora, na TV.  É que o canal OFF exibe de segunda a domingo (o episódio inédito é as quartas, 21h) a segunda temporada do Nalu a Bordo.

Nalu estudando dentro do barco, sentada numa mesa com a mãe e o pai filmando com uma câmera Blog Vem Por aqui

A família passou 18 dias, sozinha, velejando do Taiti a Fiji.

A experiência de você viajar num barco é complicada. É difícil, porque a gente não está acostumada. Tem que economizar água. Você fica um pouco preso, não tem para onde ir, e eu não podia fazer nada, a não ser nadar e fazer coisas na água.”

Fabiana concorda com a filha.

A parte mais longa foram oito dias sem ver terra, sem parar. E isso pra mim foi a pior coisa. A gente enjoou. Eu achava que a gente podia estudar ou cozinhar, mas não dava para baixar a cabeça. Enjoamos e passamos medo à noite porque tínhamos que ficar acordados, olhando se não tinha nenhum barco vindo. Eu vendo ela, assim, sem fazer nada, uma criança tão ativa, sem poder brincar... Então, pra mim, essa foi a mais difícil da minha vida e que eu não quero passar de novo. Já fiz uma vez, cumpri minha missão.”

Isabelle conta que até Pato sofreu nesses dias.

Meu pai também ficou fraco, ele não conseguia remar nas ondas. Ele é atleta, ficou sem fazer exercício, perdeu músculo.”

Isabelle estudando diante do mar, dentro do barco Blog Vem Por Aqui

Fabiana diz que se preparou ao máximo, mas, ainda assim, foi complicado.

A gente não conseguia comer direito, eu fiz um monte de marmitex, com várias receitas, e só colocava no forno, mas até pra comer era difícil. Experiência em barco, tem que gostar.”

O respeito pela família Schurmann aumentou, mas a vontade de desbravar novos horizontes não diminuiu.

Tanto que, pouco depois de voltarem, a família já estava seguindo de carro pela América do Sul e, agora, faz um tour de bicicleta pelos principais países europeus.

Os três, de bicicleta, em frente à torre de Belém, em Portugal, Blog Vem Por Aqui

No Facebook do Nalu Pelo Mundo você acompanha essas aventuras que, em breve, também vão estar na telinha.

Família na parte de trás do barco de braços abertos, em foto tirada do alto Blog Vem Por Aqui

E, por enquanto, vai vendo que o aperto que eles passaram em alto-mar foi bem recompensado pelas belezas que encontraram nessa aventura.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *