Foto: Acervo pessoal Ana Soares
Balaio
14/06/2016 | Nenhum comentário

Orientações práticas para uma mala inteligente

Já fiz uma análise sobre o peso excessivo que muita gente carrega por aí quando embarca numa viagem. Faltou ensinar o caminho das pedras. A consultora de moda e estilo, Ana Soares, autora do bem-sucedido Hoje Vou Assim Off , explica pra gente os segredos para se fazer uma boa mala.

Sabe essa história de blog? Pois, lá em 2008, eu comecei a aprender sobre isso com a Ana. Ela é designer, não nasceu em berço de ouro, tinha umas peças mirradas no armário, mas se inspirou na Cris Guerra (pioneira dos blogs de looks diários no Brasil) para criar a sua versão do Hoje Vou Assim. No mundo Off da Ana, as fast-fashion tinham espaço, o reaproveitamento sempre foi regra e falta de dinheiro virou sinônimo de criatividade.

Ana com pantalona preta e casaco de paête Blog Vem Por Aqui

Nós nos conhecemos nos idos de 2000, em Juiz de Fora. O que eu mais admiro na Ana é que ela podia ter se acomodado com os 38 mil seguidores no Facebook e os mais de 300 mil page views por mês pra ganhar uma graninha e umas roupinhas com o blog, mas foi atrás de conhecimento porque estava interessada em oferecer um serviço de qualidade para quem se inspira nela e para os que, como ela, têm que cortar um dobrado para andar bem-vestidos.

Primeira turma de consultoria de estilo da Ana no Senac Blog Vem Por Aqui

Ana no meio das alunas, no Senac.

A Ana fez cursos de consultoria de estilo e análise de cores, se especializou num conceito de moda sustentável e que valorize a autoestima. Hoje é professora do Senac e dá palestras pelo Brasil sozinha ou em parceria feras no assunto, a Ly Takai.

Ly Takai e Ana Soares Blog Vem Por Aqui

Ly Takai e Ana Soares.

Ela já fez trabalhos para C&A, Enjoei, Google, Subway, Minas Shopping e apareceu até no Mais Você.

É com toda essa expertise que a Ana responde à pergunta: ‘Como se faz uma mala inteligente?’.

A Mala

Segundo ela, o primeiro passo é pesquisar o local para onde estamos indo. O clima, a dinâmica da cidade (se você vai andar a pé, usar transporte público, alugar carro…) e até o estilo das pessoas. A partir daí, vem o tempo da viagem.

Na verdade, você tem que pensar quantos dias você vai ficar no lugar. Então, se você vai ficar, por exemplo, seis dias num lugar, o ideal é você levar metade disso em parte de
baixo.”

A Ana explica que calças, shorts, saias e afins sujam menos e chamam menos atenção, por isso a gente precisa de uma quantidade menor desses itens, já que dá pra repetir bastante.

O ideal é que cada parte de baixo renda três combinações diferentes. Você pega aquele short monta três looks, fotografa e bota na mala [...] A mala vai ficar mais concisa, mais inteligente."

Sobre as partes de cima, ela propõe que a gente leve uma para cada dia, com duas ou três peças sobressalentes. Vestido só é uma boa opção para quem usa a versatilidade.

O principal é isso, você ter em mente que você tem que viajar com uma mala leve, não adianta levar o guarda-roupa inteiro. É já sair sabendo o que você vai vestir, as combinações. Se você quer usar aquele vestido, pensa: ‘Esse vestido pode render mais o que?’ [...] ‘Eu, com salto, posso usar ele para sair pra jantar. Com um tenizinho, uma jaquetinha amarrada, eu posso usar ele pra bater perna.’ ”

Outro ponto importante, segundo a Ana, é eleger uma paleta de cores. Quem gosta de mais coloração pode pensar em dois tons neutros e três coloridos que combinem entre si, como, por exemplo, vermelho, azul e verde mesclados com azul marinho e branco. Já quem prefere menos tinta, pode ficar com três cores neutras e duas coloridas que sejam sóbrias, como o vinho e o mostarda.

Os acessórios são aliados inseparáveis de uma boa mala. Ana lembra que eles ajudam a mudar a cara da produção e não ocupam tanto espaço.

Um lenço pode ser amarrado na cabeça, no cós da calça, acinturar um vestido, e até servir de pareô. Ela diz que as cangas de seda estão super na moda e cita até uma marca, a Aragem, como exemplo de quem trabalha bem essa tendência.

Ana com lenços amarrados de vários jeitos diferentes Blog Vem Por Aqui

Outra dica de ouro, eu devia ter seguido numa ida à Venezuela:

“Não viajar com um sapato que você não tenha usado antes. Porque aí você vai experimentar aquele sapato naquela a viagem, vai machucar, você vai ser obrigado a comprar uma Havaiana ou qualquer outra coisa.”

Pois quando eu estive em Valencia para o casamento de uma amiga, cismei de levar uma sandália que tinha acabado de ganhar. Ela era bonita, mas estava um pouco apertada e não era nada adequada para percorrer parques e as imensidões que andamos no dia. Fui ficando mal-humorada e tive que interromper o passeio mais cedo.

Sandalia apertada de Érika Gimenes Blog Vem Por Aqui

Eu, micando com uma sandália apertada e de salto para passear num parque, na Venezuela.

A Ana diz que as palavras de ordem, do momento, na moda são: reaproveitar, reutilizar e versatilizar.

“Não faz mais sentido as pessoas terem muito e ostentar isso.”

Essa história de comprar roupa pra viajar é outra bobagem. Na minha opinião, como roupas costumam ser caras no Brasil, é muito melhor deixar pra comprar nos destinos de viagem. A Ana é mais pragmática. Segundo ela, a solução ideal é olhar para o seu armário, em vez de ir às compras. Pensar em combinações diferentes e aproveitar soluções modernas, como o Pinterest, para criar um mural buscando inspirações para as suas peças. Ela diz que não tem o menor sentido deixar de viver experiências (comer, passear, conhecer) gastando com uma mala cheia, seja na ida ou na volta.

Também é preciso fugir das ilusões da vida digital e lembrar que em casa ou viajando, temos que parecer com a gente mesmo e não com um personagem.

Eu acho que as pessoas estão muito preocupadas agora em redes sociais, em como é elas vão parecer nas redes para outras pessoas. E elas não querem parecer básicas. [...] Elas estão pensando menos no conforto, perdendo tempo de uma viagem montando looks e se maquiando... Então, eu acho que, assim, ‘a pessoa gosta de se arrumar?’ Beleza! Mas é outra prioridade, dá pra você pensar numa produção estilosa e confortável.”

Por falar em conforto, a Ana indica as pantcourts (pantalonas curtas) como uma opção cheia de personalidade para as viagens.

Ana com uma pantacourt Blog Vem Por Aqui

As produções Hi-Lo também são uma ótima alternativa. Você coloca um cordão diferente, uma bolsa bacana, um casaco com paetês no jeans e camiseta e arrasa!

Ana com dois looks de jeans e camiseta Blog Vem Por Aqui

Maquiagem também levar o básico, o essencial, pra não pesar, pra você ter mais mobilidade, mais facilidade, não ficar dependendo tanto de mil malas, se você comprar alguma coisa lá, ter onde colocar.”

As técnicas da Ana têm dado resultados práticos. Ela cita uma cliente de consultoria para comprovar. Essa pessoa costumava viajar para a Feira do Livro, em Frankfurt, com duas malas de 32 quilos porque ficava insegura e levava o guarda-roupa inteiro. Desde que entendeu os conceitos com os quais a Ana trabalha, ela mudou tanto que, da última vez, saiu do Brasil com uma mala de 12 kg.

Quer conhecer melhor as ideias da Ana? Acesse o blog, o Facebook ou o Instagram. Para saber mais sobre a consultoria de estilo, acesse esse link.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *