Foto: Érika Gimenes
BeabáEuropa
24/05/2016 | 6 comentários

Como morar em Barcelona e fazer um máster na UB

Em 2011 resolvi dar uma guinada na minha vida e fui estudar em Barcelona. Morei na cidade por quase um ano e fiz um máster na universidade mais antiga da capital catalã. Passei aperto para saber como era o processo burocrático para se viver na Espanha e quanto custaria. Fui salva pela ajuda generosa de pessoas conhecidas e da minha blogueira preferida, Adriana Setti. Dessa experiência nasceu a ideia do Beabá e, hoje, divido com vocês o que vi e aprendi.

Eu sempre quis conhecer o mundo. Quando era adolescente, me sentia sufocada pelo excesso de regras em casa, pelas paredes do quarto e pela falta de horizontes na cidade onde eu cresci. Em 98, comecei a transpor minhas barreiras. Sai da zona de conforto, em Campos dos Goytacazes, para fazer faculdade de jornalismo em Juiz de Fora. De lá pra cá, morei em Varginha e Belo Horizonte, mas só em 2007, quando viajei para a Europa pela primeira vez, é que a sementinha desbravadora começou a germinar dentro de mim.

Em 2005, já estava apaixonada por um mineiro nascido e criado em Belo Horizonte. Sempre soube que as viagens seriam uma parte especial da nossa convivência, mas achava que mudar de país era um sonho distante.

Casamos em abril de 2011 e a lua de mel nos Estados Unidos foi o pontapé inicial dessa aventura. Eu já tinha planejado meu pedido de demissão no emprego, porque um problema nas cordas vocais me impedia de continuar apresentando o telejornal do qual eu também era editora responsável. Depois de brigar muito com a doença, resolvi que era hora de tentar uma mudança profissional, de procurar um novo rumo.

Na Disney, diante de um mundo tão diferente, meu marido se encantou. Ele também não estava feliz no trabalho e sugeriu, meio aleatoriamente, que a gente passasse um tempo fora do Brasil. Era só de uma sugestão que eu precisava..."

Escolhemos Barcelona por uma convergência de fatores. A irmã dele morou na região por mais de dois anos, meus amigos que já tinham vivido na Europa faziam coro com ela dizendo que era a melhor cidade do continente, e ainda faziam uma comparação que matava qualquer dúvida. Se Madri era como São Paulo, Barcelona era puro Rio de Janeiro, e eu sempre sonhei em morar no Rio…

Decidimos vender o apartamento, os carros e encarar o desafio.

Além de conversar com gente que já tinha passado por esse processo, comecei a pesquisar na internet para saber o que fazer. Li bastante o Universia, descobri que as fundações Santander e Carolina ofereciam bolsas de estudo na Espanha, mas, como comecei a procurar em maio, perdi o prazo para inscrição nessas bolsas e nas que eram oferecidas pelas próprias universidades.

Nunca é demais lembrar que o ano letivo na Europa começa entre setembro e outubro e termina em julho. Agosto é O mês de férias, então, tudo tem que ser resolvido até julho. Já para tentar bolsas, as inscrições vão até março.

Escolhi meu curso fazendo uma análise de preços, qualificação e afinidade com os temas. Como não conseguiríamos o visto sem a aprovação num curso, tentei candidatura em três e, quando fui aceita, optei pelo que me parecia mais adequado. Consultei rankings, como o do próprio Universia e o da Fundación BBVA para me decidir pela Universidad de Barcelona. Como queríamos um programa com um ano de duração, optamos por um máster própio, que é mais que uma pós-gradução e menos que um mestrado, talvez uma espécie de MBA.

Fachada da Universidade de Barcelona Blog Vem Por Aqui

Também escolhemos um que não exigisse proficiência no idioma porque não falávamos nada de espanhol quando decidimos embarcar nessa aventura. Fizemos três meses de um intensivo no Instituto Cervantes e mais um mês com uma professora particular antes de ir. Não saímos daqui fluentes, mas foi o suficiente.

O curso que eu fiz, Máster en Comunicación Empresarial, mudou de nome e hoje é o Máster en Dirección de Comunicación Empresarial e Corporativa. Pelo que eu vi no site, o programa foi melhorado e houve uma renovação no quadro docente, mas 45% dos professores ainda são os mesmos.

O catatau de documentos exigidos para a matrícula é igual e tudo tem que estar devidamente reconhecido pelo Ministério das Relações Exteriores e pelo consulado espanhol, além de ser traduzido por um tradutor juramentado.

Depois que você preencher e enviar o formulário que está no site, um assessor da universidade deve entrar em contato confirmando a sua aceitação e solicitando que você envie por e-mail a documentação exigida e faça o pagamento. Lembre-se que o interesse é seu, se ninguém escrever ou ligar, corra atrás de respostas. Antes das aulas começarem, é preciso levar todos os originais e cópias autenticadas até a universidade.

O valor aumentou um pouco em relação a 2011. Pagamos € 4.200 cada (meu marido, que também é jornalista, fez o mesmo máster) e hoje custa € 4.970. Uma reportagem da Exame explica várias formas de se enviar dinheiro para o exterior. Eu usei Western Union porque é a menos burocrática.

As aulas são de segunda a quinta, de 18h45 às 21h45 e acontecem num prédio que fica pertinho da estação Glòries, em frente a um shopping com o mesmo nome e ao lado da Torre de Agbar, edifício da companhia de água de Barcelona, que, pelo formato fálico, ganhou dezenas de apelidos…

Torre de Agbar Blog Vem Por Aqui

Voltando ao que interessa, a carta de confirmação da universidade vai ser imprescindível para que você possa pedir o visto de estudante. No site do governo espanhol há a lista completa dos documentos exigidos e também links com o formulário de solicitação e um modelo do atestado médico necessário.

Os vistos só são concedidos nos consulados-gerais e na embaixada da Espanha no Brasil. Os consulados honorários podem servir apenas para tirar dúvidas. A minha experiência com o de Belo Horizonte não foi agradável. Além da localização ruim e do funcionamento esporádico, o cônsul ficou tentando me convencer de que a única tradutora juramentada reconhecida pelo consulado era uma indicada por ele. Fiz o serviço com outra que e não tive nenhum problema.

Não subestime a demora da burocracia, garanto que a gente gasta fácil uns três meses até ter tudo em ordem. Como minha comprovação de matrícula só chegou em julho e o visto só foi concedido nos últimos dias de agosto, tivemos que comprar passagem quase em cima da hora para viajar em outubro.

O visto concedido no Brasil é colado no seu passaporte e tem apenas três meses de validade. Aí você vai perguntar, mas pra que um visto de três meses se até turista pode circular na Europa por esse tempo? Porque ele serve como um aviso de que você passou por todo processo legal para ter um visto mais longo e foi aprovado. Quando você chegar à Espanha vai ter que procurar o escritório da Polícia Nacional que cuida de assuntos de Extrangería para tirar a sua carteira de identidade nacional provisória, o NIE, que pode demorar até 45 dias para ser concedido. Como o visto do seu passaporte vale três meses, não enrole muito para tirá-lo e também não se iluda, não vai dar para viver eternamente na Europa com ele. O documento tem validade e não costuma ser muito maior que a duração do curso.

Documento de identidade para estrangeiros Blog Vem Por Aqui

Enquanto estávamos no Brasil fizemos contato com algumas imobiliárias para ver possíveis apartamentos para alugar, nenhum deles deu certo, mas não deixou de ser um ponto de partida. Para passar os primeiros dias escolhemos uma residência estudantil em Gràcia que funciona como um hotel, da qual eu já falei aqui. A busca por uma casa eu também contei como foi nesse post, mas, o importante é saber que você vai gastar de € 600 a € 800 para alugar um apartamento de um quarto em bairros bons como Eixample e Gràcia ou a metade disso para dividir.

Algumas administradoras de condomínio em Barcelona costumam ficar em lojas abaixo dos próprios edifícios. Vale a pena entrar e perguntar sobre apartamentos vagos.

Uma amiga querida que fizemos no máster, a Diana, ia passar todo o período do curso numa residência estudantil, como mensalista. Primeiro ela tentou vaga na Ônix (que é apontada como uma das melhores), não conseguiu e acabou fazendo a reserva em outra. De qualquer forma, a Di desistiu da residência e alugou um apartamento no nosso prédio. Além de não poder receber visitas a hora que quisesse e de ter horários para chegar, Diana reclama que não havia frigobar no quarto:

“Eu acho que fiz muito bem em reservar por um mês, se tivesse reservado por mais tempo teria perdido dinheiro, porque o lado ruim de ficar numa residência é que você não tem a sua liberdade para ir e vir e de alimentação.”

Em relação a outros custos, minha mestra quando se trata de Barcelona, Adriana Setti, publicou uma listinha em 2007 que, por incrível que pareça, não está muito desatualizada. Some uns 20% mais e dá para ter uma boa base, afinal, país sem inflação galopante é assim.

Além do blog da Dri, o Achados, e das dicas sobre a cidade que você encontra aqui, o Passaporte BCN também tem várias informações úteis para turistas e futuros moradores.

Érika nas salas de aula do colégio, da faculdade e do Máster Blog Vem Por Aqui

De sala de aula em sala de aula: CENSA, UFJF e UB

 Na prática

Visto 

Para a concessão do visto de estudante é preciso apresentar os seguintes documentos (com cópias):

  • Formulário preenchido
  •  Duas fotos 3×4
  •  Pagamento da taxa consular – R$ 247 pagos no próprio consulado ou embaixada, em dinheiro trocado
  •  Passaporte com validade de seis meses além do período de permanência
  •  Comprovante de admissão num centro de ensino reconhecido na Espanha
  •  Atestado de antecedentes criminais emitido e assinado pela Polícia Federal (com reconhecimento de firma da assinatura e tradução por tradutor juramentado.
  •  Atestado médico bilíngue no modelo exigido com reconhecimento de firma do médico.
  •  Comprovação de meios para viver na Espanha – geralmente é preciso anexar algum comprovante de concessão de bolsa, declaração de imposto de renda, extratos bancários, contracheques ou declaração registrada em cartório de alguém se comprometendo a pagar pelos estudos e imposto de renda e extratos da pessoa.
  •  Seguro médico com cobertura mínima de € 30 mil

Para matrícula no curso

No Máster en Dirección de Comunicación Empresarial e Corporativa da UB são exigidos:

  • Formulário de inscrição
  •  Passaporte
  •  Foto 3×4
  •  Diploma
  •  Histórico escolar universitário
  •  Currículo
  •  Comprovante de pagamento

* Todos os documentos têm que ser traduzidos por um tradutor juramentado e reconhecidos pelo Ministério das Relações Exteriores e pelo consulado ou embaixada da Espanha no Brasil. Devem ser enviadas cópias autenticadas por email para a universidade e, antes do início das aulas, devem ser apresentadas as cópias e os originais na secretaria.

Custos

  • Passagem de avião

Belo Horizonte – Barcelona (ida e volta) – média de R$ 3.400 (com taxas)

  • Universidade

Máster en Dirección de Comunicación Empresarial e Corporativa da UB – € 4.970

  • Seguro saúde

Com validade de um ano – varia de R$ 3.000 a R$ 15.000 dependendo da cobertura e da seguradora

  •  Hospedagem

Período de 9 meses em residência estudantil – € 664 a 784 mensais, dependendo do quarto – fonte: Residência Ônix

Apartamento compartilhado – de € 230 a 450 por um quarto – fonte: Loquo

Aluguel de apartamento mobiliado, com um quarto em bairros como Eixample e Gràcia – de € 700 a 1.000 – fonte: Loquo

Compartilhe

Comentários

  1. Carine Tavares disse:

    Querida, está tudo lindo! Belo texto, belas fotos e as dicas esquematizadas! Nao esperaria nada diferente de você!, que também me deu boas dicas quando fui a Espanha e para as aventuras que estão por vir! Sucesso!

    1. Erika disse:

      Que bom que gostou! Em breve você também vai estar por aqui 🙂

  2. Armonia Gimenes de Salvo Domingues disse:

    Que prazer ver sua ascendência do CENSA, UFJF até a UB. Deus a proteja em outros mais sonhos.

  3. Gloria Paiva disse:

    Adorei o blog, Érika. Os textos são excelentes e as dicas, super úteis. Você já me havia “contaminado” com o bichinho de Barcelona e posso dizer que foi uma escolha muito acertada! 🙂 Continuarei de olho nas suas dicas! Beijos, Glória

  4. Camilla disse:

    Oi, Eika! E em relaxa a trabalho? O visto de estudante permite que vc trabalhe?

    Obrigada!

    1. Érika Gimenes disse:

      Oi Camila, permite pouquíssimas horas, que seriam referentes a estágio, mas permite sim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *