Foto: Cita
BalaioAmérica
12/07/2016 | 2 comentários

O Congresso Internacional de Tango em Buenos Aires

Para quem é apaixonado por atividades físicas, dançar é só um jeito diferente de trabalhar o corpo, mas há sempre um ritmo especial para cada pessoa e o da professora de educação física Elizabete Maia é o tango. A dança passou de hobby a paixão depois que ela esteve duas vezes em Buenos Aires.

Em 2013 Bete fazia dança de salão quando foi convidada pelos bailarinos da escola a ir ao Congresso Internacional de Tango, o Cita.

O mundo inteiro está lá. A estrutura é fascinante!”

Qualquer interessado pode se inscrever, há turmas para todos os níveis e o pacote com a inscrição, 15 aulas, show dos professores e três milongas custa US$ 525.

Aulas do Cita Blog Vem Por Aqui

Nas duas vezes em que Bete foi ao evento, havia aulas de 11h às 19h e os inscritos participavam de vários bailes. Ela ainda saiu do Brasil com uma missão.

O tango é dificílimo, o passo não, que você, treinando muito, consegue fazer, mas o meu professor disse ‘eu quero que você aprenda o que é que eles passam, como é que eles dançam.’ ”

O grupo de Bete fez amizade com quatro monitores do Congresso e, depois do horário das atividades, eles levavam a turma para os locais mais ‘genuínos’ da noite portenha.

Salão lotado no La Viruta Blog Vem Por Aqui

Salão lotado no La Viruta

Foi assim que ela conheceu casas com perfis diferentes. O La Viruta que é uma espécie de boate de tango e toca até ritmo eletrônico; o Salón Canning que mantinha um perfil intermediário, seguindo tradições, mas com regras menos rígidas; e o Milonga 10, um baile que acontece no clube Fulgor de Villa Crespo, onde havia toda uma etiqueta a ser seguida.

Para começar, as mulheres chegavam e trocavam a sandália porque a de tango é especial e deve ser usada apenas para dançar. Os homens ficavam observando as possíveis parceiras enquanto elas dançavam com outros para ver o nível de conhecimento de cada uma e se elas conseguiriam acompanhá-los. Depois de três músicas, há um intervalo e é preciso trocar de par. Nesse meio tempo, os dançarinos olham fixamente para as mulheres com as quais querem bailar, indicando suas intenções, e vão até a metade do salão para iniciar a dança.

A gente chegava ao amanhecer, saia de uma milonga entrava em outra. A turma era muito legal. (...) Trabalhei o eu mais do que a dança, entendi o que era o tango, consegui dar os primeiros passos e deslizar pelo salão.”

Um blog ótimo para quem quer informações sobre os maiores eventos de tango de Buenos Aires e os melhores lugares para se dançar é o Aqui Mi Quedo. O Matraqueando também fez um post sobre alguns dos pontos mais requisitados. No Buenos Aires Milongas há o calendário completo dos principais bailes da cidade.

Para ver outras dicas únicas da capital da argentina, clique nos links abaixo.

Compartilhe

Comentários

  1. gisele teixeira disse:

    Gracias por citar o Aquí me Quedo! Um beijo grande. Gisele

    1. Érika Gimenes disse:

      Boas fontes sempre merecem citação 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *