Foto: Bryan Ledgard/Flickr
Na suaAmérica
30/01/2017 | Nenhum comentário

Onde ficar, onde comer e o que fazer em Havana

Sana Gimenes já esteve por aqui várias vezes dando dicas sobre a América do Sul. É que a minha irmã mais nova (doutora em Sociologia, advogada e sócia de um restaurante) tem como objetivo conhecer todo o nosso continente antes de ir para a Europa e para os Estados Unidos. Agora faltam só dois países (Equador e Guianas), mas ela abriu uma exceção porque queria ver de perto a ilha de Fidel Castro enquanto ele estivesse vivo. E ele esperou por ela. Dias depois que Sana voltou para o Brasil, o velho ditador morreu. Veja o que ela encontrou por lá e o que faz de Cuba um lugar tão difícil de definir para quase todos os visitantes.

Conhecer Cuba era um sonho antigo, não apenas por ser o país que encarnou, durante algum tempo, a esperança de corações idealistas como o meu, mas também porque sou uma apaixonada pela cultura latino-americana e pelas águas do Caribe.

Sana no Malecón, em frente a uma estátua Blog Vem Por Aqui

Ao contrário do que se pode supor, ir para Cuba não é muito barato porque as tarifas são altas (quase não há promoções) e o dia-a-dia no país gira na base de dólar ou euro. A moeda para turistas, o CUC (pesos cubanos conversíveis), vale um pouco mais que o dólar (quando eu fui CUC$ 1 valia US$ 1,05). Opte por levar euros porque os dólares sofrem uma taxação de 10% na troca.

Onde ficar

Além disso, os hotéis costumam ter preços elevados e qualidade inferior. Claro que há hotéis muito bons, como o Saratoga, e há outros em construção que me pareceram que serão bastante impressionantes. Mas nunca fez parte do meu planejamento me hospedar em hotéis em Havana.

Vista da piscina do hotel com poltronas e mesinhas ao lado

Saratoga

A ideia era ficar numa hospedagem familiar e conhecer um pouco mais da realidade cubana. Fiz minha pesquisa no AirBnB e há muitas opções incríveis e confiáveis. Você encontra de tudo. Além disso, há como alugar apartamentos privativos, então você não perde sua liberdade.

Eu optei por ficar uma parte do tempo em Vedado, um bairro mais residencial, e outra parte do tempo em Havana Vieja, que é aquela Havana que a gente vê em fotos. Em Vedado fiquei na casa do Daniel e em Havana Vieja na casa da Deives. Ambas interessantes e com a opção de serviço de café da manhã.

Sana numa varanda de um prédio em Havana com rua ao fundo e outro prédio ao lado Blog Vem Por Aqui

A casa do Daniel ainda teve a vantagem de ser, na verdade, um apartamento privativo. Reserve com muita antecedência, seja o hotel ou a casa particular, porque Cuba é um hot spot turístico, especialmente se você viajar nos meses das férias europeias.

Onde comer

Vista de uma das mesas na varanda do restaurante Blog Vem Por Aqui

Nazdarovie

Cuba não é um lugar para turismo gastronômico, mas há locais interessantes em Havana como o restaurante russo Nazdarovie, que tem uma linda vista para o Malecón ou o imperdível La Guarida, provavelmente um dos restaurantes mais legais que eu já fui e que ainda tem um rooftop muito bacana.

Mosaico de fotos de Sana e o marido no La Guarida

Sana e o marido no La Guarida

Se quiser sair do eixo mais turístico vá ao Vistamar, um restaurante na área residencial de Miramar que fica de frente para o mar. Aproveite para conhecer esse bairro e admirar a zona das embaixadas onde está a ENORME embaixada da Rússia.

Mesa de ferro embaixo de um guarda-sol, piscina do Vistamar e mar ao fundo Blog Vem Por Aqui

Vistamar

Se quiser juntar gastronomia, boa música, arte e cinema vá a FAC (Fabrica de Arte Cubano), uma grande fábrica desativada que se converteu no point cultural de Havana e costuma estar lotada, sempre com bons shows, exposições e animação.

Mosaico com ambientes da FAC: pista, cinema e exposição de obras Blog Vem Por Aqui

Logo ao lado fica o lindo restaurante El Cocinero que tem um clima incrível, dois ambientes lindos e ainda utiliza a chaminé da fábrica como parte de sua estrutura. A FAC costuma bombar e as filas são enormes se você não chegar bem cedo, até porque a entrada custa só CUC$ 2, então é um lugar que mistura locais e turistas. Mas como quase tudo em Cuba, sempre há alguém que te coloca para dentro na hora por CUC$ 10…

Onde ir

Apesar de ser uma dica óbvia, achei que a visita ao Museu da Revolução é imprescindível. Lá é possível conhecer e entender melhor a trajetória tão peculiar daquela pequena ilha. Atrás do Museu está exibido o Iate Gramna que trouxe de volta para Cuba os revolucionários exilados no México para retomarem a luta armada.

Frente do museu com tanque na frente Blog Vem Por Aqui

Se for para descansar e curtir uma boa praia, a bela Varadero fica apenas a duas horas de Havana por meio de uma ótima estrada. Não espere encontrar a ‘verdadeira’ Cuba nesse local, pois é totalmente para gringo naquele esquema de resort all inclusive, mas o mar é lindo e dá para se divertir.

Vista da praia de Varadero do alto com hotel no fundo Blog Vem Por Aqui

Cuidado com a escolha do hotel porque os resorts, mesmo com bandeiras internacionais conhecidas, têm uma qualidade um pouco abaixo da que vemos em outros países. Eu optei pelo Meliá Varadero que tem uma excelente localização e fiquei no piso The Level que dá direitos a certas regalias. Achei que valeu a pena. A comida, apesar da variedade diária, foi o maior problema, mas acho que essa é uma questão em todos os hotéis e eu também não curto a lógica do all inclusive. No The Level pelo menos é possível comer em restaurantes à la carte em todas as refeições.

Área de ofuro no hotel com espriguiçadeiras e palmeira na entrada Blog Vem Por Aqui

Meliá

Não querendo se deslocar muito ou gastar mais dinheiro, existem as chamadas praias do Leste que ficam a meia hora do centro de Havana e tem o mesmo mar de Varadero.

Como se locomover

Achei as corridas de táxi um pouco caras, então, negocie sempre. Se quiser um motorista confiável e que faz às vezes de motorista particular, entre em contato com o Yosvany (Tel: 52665084 / E-mail: yovidearmas@nauta.com / Face aqui). Ele trabalha 24h e, inclusive, me levou e buscou em Varadero. Seu carro é um daqueles antigões (mas reformado) que estão no imaginário de qualquer turista.

Se você der a sorte de conseguir uma scooter para alugar, acho que é a opção mais econômica e que te permite conhecer tranquilamente a cidade toda. Fica mais barato do que fazer várias corridas de táxi se você for se deslocar bastante, já que a diária custa cerca de CUC$ 30 e qualquer voltinha de táxi sai a CUC$ 10. Porém, tem que ter muita sorte porque só há duas locadoras na cidade, que têm poucas motos, e os próprios cubanos costumam alugar e renovar a locação indefinidamente. Na rua do Hotel Nacional, em Vedado, fica uma delas.

Segurança e dualidades

Apesar de ser um país pobre, Cuba é um país extremamente seguro, então é muito louco para um brasileiro poder andar, por exemplo, às 2h por ruas escuras e meio depredadas, com a maior tranquilidade, como eu fiz.

Prédio antigo de Havana com carro com defeito e homens diante dele na frente Blog Vem Por Aqui

Cuba é um país encantador, que nos desperta sentimentos contraditórios. Não é o sonho encantado que os revolucionários imaginaram e venderam, mas também nos oferece uma outra perspectiva da vida e dos valores sociais.

Catedral de Havana com turistas passeando na frente e sentados em mesinhas de bares ao lado Blog Vem Por Aqui

Catedral de Havana

Com muita beleza natural combinada a um patrimônio histórico e arquitetônico maravilhosos (mesmo que às vezes se deteriorando), Cuba é um lugar que deixa saudade se você puder se desprender e se deixar levar pelo ritmo e charme cubanos.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *