Foto: InTutition Language
BalaioAméricaEuropa
15/06/2018 | 5 comentários

Um curso de inglês diferente no exterior

É difícil acreditar num curso de inglês que não tem sequer escolas e salas de aula, e aposto que você daria ainda mais passos para trás se descobrisse que ele custa quase três vezes que os outros. Então, por que tem tanta gente optando pelo InTuition? E por que ele tem sido premiado por organizações que regulam a qualidade dos cursos na Inglaterra?

Eu nunca tinha ouvido falar nesse método antes de começar a minha jornada pelo mundo das viagens de estudo, na parceria que fiz com a Central do Estudante. Fiquei surpresa, mas confesso que também me baixou um São Tomé quando soube por alto sobre o sistema.

Logo do InTuition com uma casa em volta do IN e a palavra Languages escrita abaixo de Intuition sublinhada Blog Vem Por Aqui

Os alunos do InTuition se hospedam e recebem aulas nas casas dos próprios professores. E, se por um lado, é claro que aulas particulares costumam ter resultados mais rápidos e mais objetivos, por outro, pensava se eles dariam conta de sistematizar o ensino com tanta gente espalhada pelo país. Na verdade, países. O InTuition conta com mais de 500 participantes distribuídos entre Inglaterra, Irlanda, Estados Unidos, Canadá, Austrália e Malta.

A questão é que eles não obrigam os professores a seguir só um sistema e dão liberdade para que eles moldem as aulas de acordo com os gostos e as necessidades de cada aluno. Mas todos são certificados (têm diplomas que garantem que estão habilitados para dar aulas de inglês) e respeitam rigorosamente a carga horária e as necessidades didáticas do curso.

Mosaico com quatro fotos de alunos com professores. Na primeira, duas mulheres estão numa vinícola, na segunda o professor está em pé e aponta para um quadro quando o aluno está sentado, na terceira a professora está sentada ao lado do aluno comemorando enquanto ele sorri, segurando uma prova e na segunda a professora e um aluno estão com roupas esportivas e uma raquete de tênis Blog Vem Por Aqui

Uma das grandes vantagens do método é que, além de especialistas em inglês, há profissionais de diversas áreas que se aposentaram ou conseguem conciliar o InTuition com seus trabalhos principais.

De secretárias-executivas a economistas, advogados e até um ex-embaixador da Inglaterra no Brasil, há todo tipo de gente dando aula no curso.

São seis modalidades oferecidas: inglês geral, para o trabalho, acadêmico, preparatório para exames, para novos aprendizes (de 10 a 17 anos) e profissional (destacando o vocabulário específico para algumas áreas de atuação). Os professores também costumam fazer atividades extraclasse, como compras, idas a museus ou restaurantes e até pequenas viagens com os alunos.

Essa dedicação integral custa caro. Enquanto um curso de 20 horas semanais, com duração de 15 dias, em boas escolas inglesas fica por volta de R$ 4.000, o mesmo período no InTuition pode passar de R$ 10.000.

Conversei com duas ex-alunas e elas garantem que vale cada centavo.

Paloma Olivieri é administradora, tem 31 anos e resolveu conciliar as férias com o estudo. Mesmo um pouco ressabiada, quis tentar o método.

Essa experiência de estar na casa de uma pessoa completamente desconhecida é muito nova para mim, eu não gosto nem de AirBnb.”

Paloma passou 15 dias em Eastbourne (já falei sobre a cidade aqui) e outros 15 em Oxford. Ela teve a chance de testar duas professoras diferentes.

Enquanto uma era mais dinâmica e usava vários livros durante as aulas, a outra aproveitava a experiência do marido (executivo de uma grande empresa) para debater questões do mundo dos negócios com a aluna.

As duas eram muito dedicadas, muito comprometidas com o aprender e muito corretas com o horário. Como é só você e o professor, parece que são muito mais horas de aula, rende muito. Elas não ficam parando para bater papo e compensam qualquer tempo de parada. É um programa muito sério.”

Tanto que Paloma até pediu às professoras que diminuíssem o número de deveres para que tivesse mais tempo para passear.

Paloma em frente a um portal de pedras e outras ruínas Blog Vem Por Aqui

Paloma em uma de suas viagens pela Inglaterra, em Hastings

Quando faziam atividades fora de casa, as tutoras deixavam que a administradora buscasse atendimento e a incentivavam a vencer a timidez ao se comunicar em outra língua.

Nas duas residências, ela recebeu ligações dos responsáveis pelo programa que queriam garantir que Paloma estava satisfeita não só com as aulas, mas com a qualidade da hospedagem e das refeições oferecidas.

A secretária-executiva Valéria Pereira passou 15 dias na casa de uma professora em Bishopsteignton, vila perto de Devon, e também recebeu essa ligação de checagem. Assim como Paloma, ela ficou satisfeita com o jeito com que foi tratada e com o aprendizado.

O curso em si foi fantástico e eu fui recebida como um membro da família.”

O programa foi o presente que Valéria se deu ao celebrar 50 anos. Quando procurou a Central do Estudante, ela queria estudar dentro de uma universidade inglesa. Como é formada em Letras, ao conhecer o InTuition, percebeu que teria melhores resultados.

Eu achei muito bom porque eles conseguiram uma professora que tinha a mesma formação que eu e a mesma experiência profissional. Trabalhou a maior parte da vida como secretária-executiva em indústrias, em multinacionais e, como eu, também tinha dado aulas. Isso fez toda a diferença.”

Valéria e a professora estudavam durante quatro horas por dia. Ela ainda viajou com Jill para conhecer cidades das redondezas e foram juntas ao cinema.

A professora e Valéria sentadas na mesa de um café, olhando para a câmera Blog Vem Por Aqui

Jill e Valéria em Teignmouth

No dia em que a aluna chegou, foi recebida com um jantar especial de aniversário.

Foi uma troca de experiências. Uma pessoa um pouco mais velha que eu, que trocou experiências comigo de tudo, de trabalho, de filho, de casa, com todo o tipo de vocabulário que você possa imaginar.”

Mesmo já tendo um nível avançado de inglês, a secretária-executiva acredita que o curso foi fundamental para evoluir no vocabulário de negócios. No futuro, ela também pensa em tirar uma certificação internacional e voltar a dar aulas do idioma.

Mas a experiência não transformou apenas os anseios profissionais de Valéria. Segundo ela, até a relação com os filhos mudou.

No começo foi meio assim: ‘Quem a minha mãe pensa que é para sair por um mês?’. Mas foi interessante porque, como eu fiquei fora por trinta dias, eles tiveram que assumir a casa e tiveram também um respeito, tipo, ‘Poxa, a minha mãe, que já é avó, ainda estuda, foi para outro país.’ ”

Até a neta contava para todo mundo na escola que a avó estava na Inglaterra.

Mosaico com duas fotos, na primeira Valéria no meio dos três filhos e na segudan Alice fazendo pose e o V da Vitória nas duas mãos Blog Vem Por Aqui

Valéria e a família orgulhosa: os filhos Laís, Yasmin e Rafael e a netinha, Alice

O tempo vivido por lá pode ser comprovado não só no certificado que ela exibe com orgulho no LinkedIn, mas no diário que ela pretende deixar de herança para Alice, de seis anos.

Foto do certificado de Valéria

A aventura de aniversário ficou marcada para Valéria com uma das suas melhores lembranças.

Conhecimento não ocupa lugar. Embora eu tenha os meus 50 anos, foi inusitado. Depois que eu sai das aulas, ainda fiz uma viagem pela Europa e fui a quatro países sozinha. Peguei trem para tudo quanto é lugar, conheci pessoas, conversei com desconhecidos... Foram experiências que eu vou guardar para sempre.”

Compartilhe

Comentários

  1. Marcelo disse:

    muito bom o curso obrigado

  2. Adriana Andrade disse:

    Gostaria de obter maiores informações sobre o curso.

    1. Érika Gimenes disse:

      Oi Adriana, vc pode entrar em contato com o pessoal da Central do Estudante. Os links estão na matéria. Abs

  3. Maria De LURDES Barros da Paixão disse:

    Adorei a experiência contada por quem já fez o curso. Pretendo fazer também queria mais informações sobre como faço as inscrições Pois pretendo fazer no mês de Janeiro de 2019.
    Gostaria de ir para a Inglaterra ou Canadá.

    1. Érika Gimenes disse:

      Oi Maria de Lurdes, os links estão na matéria. O pessoal da Central do Estudante pode te ajudar. Abs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *