Foto: Passeios na Toscana
Pra lá, por quê?Europa
05/12/2017 | 2 comentários

Lugares pouco conhecidos da Toscana

A história derramada em cada vilarejo; a gastronomia que homenageia ingredientes frescos, cultivados nos campos locais; as paisagens maravilhosas…todo cantinho da Toscana tem um charme especial, mas se você quer fugir dos destinos tradicionais (Florença, Montepulciano, Cortona e outros que já citamos aqui e aqui), preste atenção nas dicas da Deyse Ribeiro, brasileira que é guia licenciada na Itália, mora em Pisa há mais de 10 anos e escreve o Passeios na Toscana.

Volterra

Deyse diz que trocaria uma visita a San Gimignano por Volterra sem pestanejar. É que a cidade é guardiã de tesouros do mundo etrusco, como a Porta Dell’Arco.

Pessoas posando para a foto de frente para a câmera, enquanto outras duas passam ao lado, de costas, debaixo da porta no meio da muralha Blog Vem Por Aqui

O Museu Guarnacci  também tem peças impressionantes, como um conjunto de 800 urnas de alabastro.

Cômodo do museu com várias urnas em formato de caixa pequenas com tampas decoradas em alabastro Blog Vem Por Aqui

 

É um conhecimento que você não imagina! Uma sociedade que viveu no século IV a.C fazia jóias tão bonitas quanto a Vivara. No museu tem uma área de jóias com anéis e brincos pontilhados de ouro que são incríveis.”

O ingresso custa € 14. No verão, o museu abre todos os dias de 9h às 19. No inverno, o horário é reduzido, funciona de 10h às 16h30.

Estátuas de uma homem deitado de lado e mulher de frente para ele na tampa de uma urna Blog Vem Por Aqui

Nesse post da Deyse você encontra outras razões para ir até lá.

Bolgheri

O vilarejo de Bolgheri fica em Castagneto Carducci, na costa da Toscana, perto das praias da região.

A estrada até lá, a Viela dei Cipressi, é uma atração em si, com suas ‘paredes’ de árvores altas e elegantes.

Estrada com grandes pinheiros dos dois lados e um carro passando ao longe Blog Vem Por Aqui

O castelo, que não está aberto a visitações, ajuda a compor o cenário típico das cidadezinhas medievais.

Castelo com torre e pórtico abaixo dessa torre Blog Vem Por Aqui

Já o Oasi di Bolgheri, uma reserva de vida selvagem perto do centro, dá um toque exótico ao local.

Veados em volta e dentro de um rio com vegetação baixa na margem Blog Vem Por Aqui

Mas o que atrai turistas para o vilarejo são vinhos feitos de uma exceção. Enquanto grande parte da produção toscana é criada a partir de uvas nativas, como a sangiovese, Bolgheri tem exemplares típicos de Bordeaux, como a cabernet sauvigon. O site Tintos e Tantos explica melhor o que é feito por ali.

A ida às vinícolas é o passeio mais requisitado à Deyse em Bolgheri. Quem entende do assunto não quer perde um tour na Tenuta San Guido, que produz o famoso Sassicaia, vinho que conseguiu uma denominação de origem própria (DOC Bolgheri Sassicaia) e pode passar, facilmente, de R$ 1.000.

Mesa com pessoas degustando os vinhos da Tenuta, com taças, água e bandeja de queijos Blog Vem Por Aqui

Ela também recomenda um hotel em que se hospedou recentemente, o Relais I Piastroni, que está na cidade de Monteverdi Marittimo, mas fica a menos de uma hora do centro de Bolgheri.

Fachada do Relais todo em pedra, com grande escadaria no meio Blog Vem Por Aqui

Pitigliano

A Deyse me contou a história de outra cidade impressionante que, durante muito tempo, foi refúgio dos judeus na Toscana.

Pitigliano foi fundada em cima de um tufo (um tipo de pedra porosa, endurecida por magma vulcânico) e parece ter sido esculpida no topo da rocha, com uma aparência mais rústica que de outras localidades da região.

Cidade vista do alto com torre no meio e rocha vermelha abaixo das construções Blog Vem Por Aqui

Dentro dela, há várias construções subterrâneas que, desde 1.500, serviram de abrigo/esconderijo para os judeus em períodos de maior perseguição.

Carverna com forno à lenha e mesa grande ao lado Blog Vem Por Aqui

Hoje, entre os cerca de 3 mil moradores, quase não há representantes do povo judaico, mas a memória do que eles viveram está preservada. Além das cavernas, a sinagoga e o museu hebraico são pontos de visitação.

Foto da sinagoga ao lado de uma do museu com vários itens judaicos Blog Vem Por Aqui

Até a culinária recebeu influências dos antigos moradores do bairro conhecido como Pequena Jerusalém.

Um doce tradicional por lá é o sfratti, em formato de bastão porque lembra o instrumento usado pelos mensageiros da família Medici para bater na porta dos inquilinos judeus, avisando que eles seriam despejados.

Doce enrolado em forma de bastão com massa clara e recheio de nozes Blog Vem Por Aqui

Abatone

Quem estiver na Toscana neste fim de ano pode aproveitar para esquiar em Abetone, que fica a duas horas de Florença.

Duas construções em forma de pirâmide ao lado de uma estrada nevada Blog Vem Por Aqui

A cidade tem uma estação de esqui com 30 pistas e 22 teleféricos que funciona de 8h30 às 17h (de acordo com as condições climáticas) e passes a partir de € 25, as informações estão aqui.

Pessoas esquiando na pista Blog Vem Por Aqui

O resort Val di Luce também faz sucesso entre os visitantes com acomodações elegantes e tratamentos variados no spa. As diárias partem de € 105.

Sala com móveis chiques com cortinas grandes semiabertas na janela Blog Vem Por Aqui

Para os leigos, a Deyse montou um beabá sobre esqui no outro site em que escreve, o Itália Para Brasileiros.

Deyse na lateral de uma pista, com roupa de inverno, sorrindo e acenando Blog Vem Por Aqui

Pontedera

Quando conversávamos sobre a Dondoli, famosa sorveteria de San Gimignano, Deyse me contou que um dos melhores sabores produzidos por lá é o de chocolate Amedei.

O sorvete é feito com matéria-prima de uma fábrica famosa de Pontedera e ela me garantiu que só visita à fábrica valeria uma ida à cidade.

Fachada da fábrica com o nome escrito grande abaixo do telhado, e pintura de cacaus nas paredes Blog Vem Por Aqui

A Amedei já ganhou o Golden Bean, um prêmio da Academy of Chocolate, de Londres, que elege o melhor produto feito por empresas que vão do grão à barra, ou seja, comandam todo o processo, desde a colheita do cacau até o produto final para o consumidor.

Chocolates variados na marca Blog Vem Por Aqui

A empresa foi fundada em 1998 pela primeira mulher maître chocolatier (especialista na produção do chocolate) da Itália, Cecilia Tessieri, e hoje é tocada por ela e pelo irmão, Alessio.

Os tours com degustação, que têm duração variada de 1h30 a 3h, acontecem de segunda a sexta, de 09h às 15h30 e têm que ser reservados com antecedência.

Pratinho de vidro com cinco chocolates pequenos e uma colher pequena em cima Blog Vem Por Aqui

Não bastasse se deliciar com a Amedei, ainda dá pra se divertir no Museu da Vespa (Piaggio Museo) em Pontedera.

Vista de cima de um dos cômodos do museu com vespas lado a lado Blog Vem Por Aqui

A fábrica da lambretinha, a Piaggio, montou um espaço com vários exemplares históricos do seu produto mais conhecido.

Sala com várias vespas lado a lado em forma de círculo Blog Vem Por Aqui

A entrada é gratuita e eles também oferecem tours guiados para grupos de 10 a 30 pessoas com uma hora de duração e valor de € 2 por participante.

Aproveite para ler as dicas da minha viagem para a Toscana e alguns segredinhos da região revelados pela Deyse nos postos abaixo.

Compartilhe

Comentários

  1. Maria Piedade Canhoni Barroso disse:

    Amo Itália especialmente a região da Toscana, pois meus avós são de lá. São de Vagli Sotto, um lugar encantador que pertence á Comune de Lucca.

    1. Érika Gimenes disse:

      Que legal, Maria! Mais uma cidade de lá para eu pesquisar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *