Foto: Acervo pessoal Dilian Caiafa
Na suaAmérica
16/06/2016 | 6 comentários

Mochila nas costas e, pela primeira vez, sozinha

Dilian Caiafa é nossa primeira participante da coluna Na Sua, o espaço para os leitores contarem suas próprias experiências de viagem e mostrarem um pouco do que encontraram pelo mundo. A Dilian foi estagiária do Governo de Minas quando eu estava trabalhava na Superintendência de Imprensa e me escreveu pedindo pra participar. Como é jornalista, tem um texto primoroso, mas você não precisa ser nenhum gênio das letras para estar por aqui. Basta mandar seu relato em primeira pessoa e fotos suas para ilustrar a história. O importante é ter o espírito colaborativo da Dilian, dividir experiências que possam ser úteis para outras pessoas.

A primeira vez a gente nunca esquece, não é mesmo? Em se tratando do primeiro mochilão sozinha, a premissa não é diferente. Inclusive, não é exagero afirmar que essa aventura transforma as visões de si e do mundo de uma mulher.

Já morei fora do Brasil e conheci muitos destinos – mas sempre acompanhada. Sempre tive uma presença para compartilhar as histórias, as alegrias e os apertos. Quando a viagem é sozinha, muitas vezes essas experiências não são divididas. O resultado? Um desfrute total e intenso!

Ui! Isso dá medo! E foi justamente assim que meu mochilão começou: com aquele frio na barriga e a pergunta ‘O que eu tô fazendo?’. Eu tinha acabado de passar um semestre em Calgary, no Canadá, fazendo um curso de inglês. Como se deslocar pelo país é caro, decidi economizar e fazer minha viagem ao final do intercâmbio.

Planejar os detalhes foi fundamental para eu me sentir segura, colocar a mochila nas costas e me jogar na viagem!

Cataratas do Niágara iluminadas no Festival de Inverno Blor Vem Por Aqui

Em Niágara Falls, as quedas ficam iluminadas durante o festival de inverno.

Tracei uma rota com os destinos pelos quais os olhinhos brilhavam e na lógica mais barata possível: saindo de Toronto, passaria o réveillon em Niágara Falls – na divisa entre Canadá e EUA –, seguiria para Nova York, voltaria para o Canadá e iria para as cidades de Montreal, Quebec e Ottawa, terminando no ponto de partida.

Dilian Caiafa na Brooklin Bridge, em Nova Iorque Blog Vem Por Aqui

Na Brooklin Bridge, em Nova Iorque .

Pesquisei os meios de transporte mais baratos, procurei hostels com boas avaliações e localizados próximos às áreas turísticas e reservei tudo com antecedência. Além de economizar uma grana com os bilhetes de ônibus e trem, garanti o descanso merecido dos aventureiros. Depois, salvei algumas informações básicas como os telefones dos hostels e os trajetos das estações até eles.

O resultado foi que aquele medo de me bancar sozinha só durou até eu entrar no ônibus em Toronto e começar minha viagem. Perceber que você pode ser a companhia ideal para si mesma traz a liberdade de estar aberta para conhecer pessoas diferentes ou de simplesmente não conhecer ninguém. Em vários destinos fiz amigos estrangeiros e até brasileiros, já em outros fiquei comigo mesma e só.

Dilian no Parc Jean-Drapeau em Montreal Blog Vem Por Aqui.

Ocupando o espaço de duas ilhas, a leste do centro de Montreal, o Parc Jean-Drapeau oferece uma vista incrível da cidade.

Em Nova York, por exemplo, passei três dias completamente sozinha e foi incrível! Desde me encontrar entre as 468 estações e 24 linhas de metrô até conhecer as atrações mais badaladas e aquelas menos turísticas – consegui fazer tudo o que havia proposto e a sensação foi de ter me presenteado.

Ferryboat passando em frente à Estátua da Liberdade em Nova Iorque Blog Vem Por Aqui

O passeio de ferry boat para Staten Island é de graça e passa pertinho da Estátua da Liberdade.

Mas nem tudo é alegria. Como em qualquer viagem, os apertos acontecem e como dizem ‘depois que passa é pra rir’. Na viagem de volta ao Canadá, ao passar pela alfândega na divisa entre Nova York e Montreal, quase não entro no país. Dei a bobeira de não imprimir minha passagem de volta ao Brasil e, mesmo com o passaporte certinho, o agente não queria deixar eu continuar a viagem. ‘Como vou saber que você vai mesmo embora do Canadá no fim do mês?’, ele me questionou várias vezes em alto e bom inglês. No nervosismo, nunca falei tão bem o English! Contei a história da minha vida, me expliquei e não lembro mais o quê. No final das contas, ele me liberou porque havia um ônibus inteiro esperando eu resolver minha situação. Saí de lá com a promessa de que deixaria o país como afirmado e com a estranha sensação ‘Clandestina, eu?’

Jail Hostel em Ottawa Blog Vem Por Aqui

Em Ottawa me hospedei no Jail Hostel que já serviu como prisão e sanatório. Encararia?

Guardo com carinho as histórias deste mochilão. Viajar sozinha é um ato de resistência, liberdade e responsabilidade. Ouvi de diversas pessoas que seria perigoso, que mulher não deve ficar sozinha (oi?) e outros desencorajamentos. Mas contrariar esses paradigmas só me provou o quanto é importante exercer o meu direito de ir e vir, a minha escolha de ficar sozinha e o compromisso comigo mesma de fazer desta A viagem da minha vida!

Compartilhe

Comentários

  1. Guto disse:

    Uma estranha no ninho do leste norte americano em pleno inverno … Descobrindo suas forças feminina na solidão da cultura , da individualidade e da beleza de três aspectos culturais o de Ontario, Novayorkino e Québécois…Ótima experiência

  2. Lívia disse:

    Massa de mais Dilian!

  3. Flávia disse:

    Adorei!! Deu mais vontade ainda de ter essa experiência fantástica e enriquecedora!

  4. Ana Paula disse:

    Nossa você está de parabéns! Obrigada por compartilhar a sua história! Ela da coragem para muitas outras mulheres fazerem o mesmo e perceberem que SIM, elas PODEM! Depois seria bom deixar um link com as dicas de viagem de onde ficar, transporte e outros lugares para visitar menos turísticos 😉

  5. Margarida Alvim disse:

    Amei seu texto, muito agradável de se ler.Alem do mais, uma oportunidade de participar de sua grande ventura. Orgulho da tia! Beijos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *