Foto: littlehotels.com.uk
Na minhaEuropa
20/09/2016 | Nenhum comentário

Um castelo, um restaurante e um bar na Rioja

Sugeri Laguardia como uma das bases para quem visita a Rioja por dois motivos. O primeiro é a própria cidade, que é linda!

Com muralhas erguidas no século 12, o vilarejo ainda tem as cinco portas da antiga fortificação. Atrás da muralha há um mirante com mesinhas e bancos, em frente ao maior ponto de estacionamento do lugar. A zona azul ainda não chegou por ali, dá pra parar o carro na rua, de graça, e sair a pé para conhecer o pueblo.

Área de estacionamento atrás da muralha Blog Vem Por Aqui

O outro motivo que transforma Laguardia num lugar especial é o hotel Castillo El Collado. Como o próprio nome já diz, o hotel é um castelo antigo, construído em 1900, que serviu de residência para o dono de uma famosa fábrica de embutidos.

Escadaria do hotel Castillo El Collado Blog Vem Por Aqui

Eu e meu irmão lemos sobre o Castillo em alguns sites, mas confesso que tive receio de me hospedar por lá. São poucos quartos e o proprietário é quem recebe os hóspedes e faz todas as honras da casa.

Tem gente que adora essa proximidade, faz amigos indo à padaria. Eu gosto de um pouco mais de privacidade. Prezo a simpatia, os sorrisos, mas não gosto de perder a liberdade com pessoas invasivas.

Foi um medo bobo que passou assim que conhecemos Javier. Ele é um lord inglês! Amável, prestativo, que desaparece em questão de segundos para deixar seus hóspedes à vontade.

Javier, o proprietário do hotel e Igor, irmão de Érika Blog Vem Por Aqui

Ficamos num quarto espaçoso, para três pessoas, com banheiro antigo, banheira, lareira, varanda… Como os quartos são bem diferentes entre si, vale a pena prestar atenção nas fotos do site para escolher o que mais agrada na hora da reserva.

Quartos do hotel Blog Vem Por Aqui

O atual senhor desse castelo é um homem sensível, esteta, admirador das paisagens e das palavras. Cada quarto tem o título de um texto poético e a explicação da escolha na porta. É verdade que a decoração é um pouco kitsch, mas dá pra relevar e entrar no clima.

Flores coloridas na sala Blog Vem Por Aqui

No dia em que chegamos, aproveitamos o parque maravilhoso, que fica colado ao hotel, para ver o pôr do sol depois das 20h. Pegamos um dos vinhos da adega do Javier e apreciamos a paisagem sem pressa.

Érika e Igor num banco da praça atrás do hotel Blog Vem Por Aqui

No dia seguinte, tomamos café na varanda principal do castelo, conhecemos a capela e a torre.

As diárias custam a partir de € 125 e o café da manhã, cobrado à parte, sai a € 13. Para três pessoas os valores ficam mais atrativos. É cobrada uma taxa extra de € 40 pela cama adicional.

O hotel também oferece sistema de meia pensão, com a diária, mais café e jantar por € 122,50 por pessoa, mas se você preferir sair para jantar, tenho outra boa dica. No meio das ruazinhas estreitas de Laguardia está o restaurante El Bodegon.

Fachada do El Bodegon Blog Vem Por Aqui

Chegamos à cidade num horário complicado. Saímos tarde de Barcelona e já era mais de 16h quando deixamos as malas no hotel e fomos procurar um lugar pra comer. Ficamos surpresos quando vimos as portas abertas do Bodegon, mais surpresos ainda quando entramos. Havia umas quatro ou cinco mesas encostadas na parede, um balcão de bar e um corredor com uma divisória bloqueando a passagem.

De cara pensei: ‘É só isso?’. Depois entendi que o espaço para almoço e jantar era justamente o que estava bloqueado.

Sentamos nas mesas que estavam liberadas, pedimos cervejas e tapas pra matar a fome. Nove cervejas e seis tapas por € 16! Fomos embora felizes, prontos para voltar pra jantar.

562260_4108748638984_1141952334_n

Chegando na hora certa a impressão muda bastante. Saímos das mesinhas de canto para um salão amplo e decorado.

Erika Igor e Luciana no El Bodegon Blog Vem Por Aqui

A conta não foi tão barata quanto a da tarde, mas a comida também saltou de qualidade.

Todos os pratos estavam deliciosos. Foi a primeira vez que comi uma carne vermelha memorável num restaurante espanhol.  Os vinhos da região são o acompanhamento perfeito. Os pratos ficam em torno de € 20.

Já em Logroño, como contei ontem, o grande programa é sair de tapeo pelas calles Laurel e San Agustín. Ou seja, ir pulando de bar em bar e provando tapas e bebidas diferentes nos balcões de cada um.

Pinchos do Pata Negra Blog Vem Por Aqui

Contrariando a tradição, começamos a beber sentados no Pata Negra. Pedimos uns pinchos tipo bocadillos (pequenos sanduíches) e uma tábua de frios. Apesar de felizes com o ambiente, tínhamos que provar mais e ainda paramos num típico boteco espanhol, sem mesas e lotado de papel e palitos no chão. Sabe como é, né? No País Basco, quanto mais sujo o chão do bar, maior a prova de que o lugar é bom.

No site da Calle Laurel tem um descritivo dos bares da região e das principais tapas servidas em cada um.

O Meyer Pelo Mundo traz outras opções de hotéis e lugares para comer na Rioja. Já o site da revista Hola tem uma lista de cinco restaurantes que valem a pena na região.

Abaixo você encontra o meu roteiro para quem tem somente três dias para conhecer a área e amanhã tem atrações que não tem a ver com vinho, mas que valem a visita.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *