Foto: Érika Gimenes
BalaioEuropa
25/03/2018 | Nenhum comentário

Tudo sobre Brighton – Onde Comer

No meu dia a dia de estudante, em Brighton, não chego a gastar nem £ 5 com refeições. Como o jantar está incluído na hospedagem, costumo seguir as colegas de sala durante o almoço na ida diária a um dos supermercados vizinhos para comprar alguma coisa fria (saladas ou sanduíches), ou pegar um prato que vai ser aquecido no micro-ondas da cozinha escolar.

Como não tinha o hábito de jantar, e para os ingleses a refeição noturna é mais importante que a do meio-dia, pego leve para acompanhar o ritmo da família que está me hospedando.

Mas nem só de sanduíches e congelados vive o homem…

Buon Appetito

Mesmo os alunos da escola fogem dessa rotina de vez em quando, aproveitando, por exemplo, os preços bem atrativos de um restaurante italiano que fica logo em frente.

Pessoas sentadas numa mesa diante do bar Blog Vem Por Aqui

O Buon Appetito tem várias opções por £ 3. É uma promoção cheia de regras (como você tem que pedir uma bebida e contar com os 10%, o preço real fica em torno de £ 5), mas vale a pena.

Mosaico com três fotos, pizza, macarrão e salada Blog Vem Por Aqui

A comida é farta e bem digna, pode não ser o suprassumo da cozinha italiana, mas o lugar é gerido por imigrantes do países vizinho e tudo é feito com esmero.

PS: Tive uma experiência ruim por lá na segunda vez que fui, mas por causa do serviço. Uma garçonete antipática não só esqueceu dos nossos pedidos, como ainda disse que a culpa era nossa porque fizemos dois pedidos separados. O dono foi mais atencioso, mas nos questionou por não deixarmos 10%. Em tese, essa questão do atendimento deve melhorar em breve, já que eles estão procurando mais empregados.

Food Tour

Brighton têm uma vasta gama de restaurantes, pubs, cafés, barraquinhas e pequenas lojas de comida de rua (já falei um pouco sobre as opções veganas e vegetarianas aqui).

Tudo com um visual tão descolado que a gente fica perdido, sem saber o que é cosmetologia e o que é autêntico.

Por isso, acho que vale a pena investir num food tour. Não é baratinho, nem é para encher a pança. O que eu fiz custa £ 40, com pequenas provas em seis lugares diferentes. A principal vantagem é receber dicas preciosas de insiders, começar a entender a cena gastronômica da cidade e separar o joio do trigo.

Cat e Emma de costas conversando com alguém Blog Vem Por Aqui

Quem oferece o passeio é a Brighton Food Tours, uma empresa com DNA rebelde (como a cidade) e que, em dois anos de existência, já foi reconhecida como uma das melhores do sul da Inglaterra, numa premiação organizada pelo escritório de turismo da região.

Cat explicando regras para todos Blog Vem Por Aqui

Cat, uma das sócias, e Emma, integrante da equipe.

Duas sócias, Catriona Lane e Angela Brightwell, comandam a iniciativa. Para Cat, o sucesso é uma consequência da maneira como tocam o negócio.

O que nos move, principalmente, é a paixão pelo que fazemos e não a ânsia por ganhar dinheiro. Eu e minha sócia somos totalmente apaixonadas por Brighton, e queremos compartilhar isso com todo mundo.”

Elas fazem questão de fugir do óbvio e dar suporte a negócios locais. Quem participa do tour entra numa corrente do bem, conhecendo empreendedores que apoiam pequenos produtores, que têm práticas sustentáveis e, é claro, fazem uma comida deliciosa.

A dupla oferece quatro tipos de incursões, além de modalidades privadas e corporativas. Dá para fazer tour sobre vinhos, drinques, veganos ou participar da mesma experiência em que eu estive a convite delas, a V.I.B (Very Independent Brighton) Food Tour.

Baby Bao

Meu passeio começou às 11h e acabou às 14h35, 35 minutos depois do previsto. Em vez dos seis lugares descritos na reserva, estivemos em oito.

Começamos muito bem no Street Diner, uma feirinha de rua que acontece toda sexta-feira no Brighthelm Gardens.

Pessoas andando em direção a uma barraquinha Blog Vem Por Aqui

Fomos direto para a barraquinha do Baby Bao, especialista em sanduíches feitos com um pãozinho asiático de massa fermentada, cozido no vapor.

Barraca do Baby Bao com dois funcionários sorrindo lá dentro Blog Vem Por Aqui

Os recheios variam de largas fatias de porco a frango desfiado e bem temperado, além de duas opções veganas.

Fatias de porco dentro de um rechaud Blog Vem Por Aqui

O valor está entre £ 6 e £ 6,50, o problema é que fácil querer (e comer) mais de um.

Placa da Baby Bao com preços e tipos Blog Vem Por Aqui

Provei o de frango e amei! Meu bao tinha kimchi caseiro, maionese picante com sriracha e coentro.

Foto do sanduíche dentro de uma caixinha de isopor Blog Vem Por Aqui

A feira funciona de 11h às 15h e eles também vendem o kimchi na barraca.

The Flour Pot

Com a barriga forrada fomos para um dos meus lugares preferidos no mundo, uma padaria.

A The Flour Pot fica na esquina da Sidney com a Gloucester Street, na área conhecida como North Laine.

Prédio onde está a padaria Blog Vem Por Aqui

Fomos recebidos com o especial do dia. Sexta-feira é sinônimo de donuts por lá. Provei o Victoria Eggs (bolo fofo com creme de morango que inspirou a rosquinha) e o de Caramelo e Flor de Sal, que é simplesmente divino.

Donuts cortados ao meio Blog Vem Por Aqui

Depois ainda atestamos a qualidade do pão rústico com cereais e de uma pasta de amendoim produzida na casa, que leva amêndoas e tem um sabor neutro entre o doce e o salgado, servindo de alternativa para quem acha as geleias meio enjoativas.

Pão rústico em cima de uma mesa e pote de manteiga de Amendoim

Os bolos exibidos pela padaria fazem qualquer um salivar…

Mesa com dois bolos e pãezinhos Blog Vem Por Aqui

Smorl’s

O ritmo durante o passeio é acelerado, mas Cat e Emma (integrante da equipe que já passou um tempo no Brasil), vão parando para apontar outros lugares interessantes do caminho e até para contar fatos históricos ligados à gastronomia da cidade.

Nem percebi quando cheguei ao Open Market. Já tinha ido lá para a gravação do The Food and Drink Show, apresentado pela minha querida hostess, Karen Morton. Foi a Karen quem fez a ponte para mim com a Cat.

Karen operando a mesa de som Blog Vem Por Aqui

A rádio Reverb (que exibe o programa) tem um estúdio dentro do antigo mercado, espaço que ainda precisa de um impulso para chamar a atenção de turistas, mas já guarda tesouros como a Smorl’s.

Fachada da Smorl's Blog Vem Por Aqui

Essa barraca de produtos que os brasileiros chamariam genericamente de ‘árabes’, é especialista em homus, aquela famosa pastinha de grão de bico que eu sempre achei insossa.  Provamos quatro tipos diferentes e fiquei totalmente surpresa. Três eram gradações da pasta misturada com mais ou menos alho. O quarto, além de alho, tinha pimenta.

Potinhos brancos cheios da prova em cima de uma bandeja preta Blog Vem Por Aqui

Degustamos ainda falafels supercrocantes com tahine e dois molhinhos para salada. Sem falar no ‘chilli’ de falafel, que era perfeito.

Tijela com molho que simula chilli Blog Vem Por Aqui

A barraca, tocada por irmãos, oferece muitas opções saudáveis no almoço. Tudo feito do zero, com ingredientes frescos. Quem quiser evitar embalagens plásticas pode levar seu próprio potinho para colocar o homus e ainda ganha um desconto de 10%.

Raibow Organic Chocolates

O tour seguiu pelo mercado, continuou intercalando doce e salgado e ficou ainda mais politicamente correto na Raibow Chocolates.

A loja é a única totalmente orgânica no Reino Unido. Isso porque, além dos produtos, segue a filosofia nas embalagens e em todo processo de compostagem do lixo.

Ovos e barras de chocolate em cima de um móve de madeira Blog Vem Por Aqui

Quem quiser provar sem gastar muito pode optar por um pirulito (£ 1,20) ou uma barra (entre £ 1,70 e £ 3). Já para presentear, a marca tem uma caixinha com trufas por £ 14.

Caixa com várias trufas diferentes da Rainbow Blog Vem Por Aqui

A loja faz degustações por £ 18,95 e funciona como café. É possível sentar dentro ou fora para tomar um chocolate quente (provamos e adoramos) com um pedaço de torta.

Mãe e filha em frente à loja, sentadas, Blog Vem Por Aqui

Saí de lá doida para experimentar a barra que comprei, mas, ao mesmo tempo, estou guardando como uma relíquia.

Aliás, esse é outra coisa interessante sobre o tour. Você não se sente obrigado a compra nada em momento nenhum. Pelo contrário, ganha desconto em todos os lugares e uma expressão entre agradecimento e surpresa por parte dos proprietários.

HiSbe

O auge da sustentabilidade, no entanto, ainda estava por vir. O supermercado HiSbe é totalmente diferente dos outros.

Fachada do supermercado pintada de azul Blog Vem Por Aqui

Não porque oferece várias opções veganas e vegetarianas, nem porque tem refil para produtos de limpeza e de higiene pessoal… Ele se destaca, principalmente, pela relação ética com produtores e consumidores.

Prateleira cheia de produtos veganos Blog Vem Por Aqui

Além de pagar margens maiores a quem fornece os produtos, o mercado tenta praticar os preços mais justos possíveis e valoriza muito a sazonalidade dos artigos e pequenos empreendedores locais.

Lemas do mercado colados na parede Blog Vem Por Aqui

BeFries

Para acalmar, novamente, o estômago, fomos para a BeFries.

Fachada da loja Blog Vem Por Aqui

Eu já tinha passado, na semana anterior (por indicação da Karen), na lanchonete especializada em batata frita, comandada por três irmãos. Apenas um deles é chef e justo o que demorou um pouco mais a se convencer de que o negócio daria certo.

Os outros dois nasceram na Holanda e nunca se esqueceram das lojas de batatas belgas que havia no país natal.

Nunca fui muito fã de batata frita, mas crocantes e cheias de molho, quem não quer?

Batata com molhos na frente Blog Vem Por Aqui

São três tamanhos (pequeno, médio e grande) que variam de £ 2 a £ 4. A quantidade de molhos que acompanham a batata vai aumentando juntamente com o tamanho e são mais de 10 opções. Alguns molhos também são vendidos em potinhos dentro da loja, para o cliente levar para casa.

A carta de cervejas foi montadas por um dos participantes do tour (éramos cinco), o beer sommelier Robert Parker.

Parede vermelha com prateleiras de cerveja e de molhos Blog Vem Por Aqui

As batatas usadas são de origem belga, mas plantadas em solo inglês por produtores locais (tá vendo como é uma corrente do bem? Eles ajudam quem é da região e nós os ajudamos…).

Mão colocando batata na máquina de picar Blog Vem Por Aqui

Todas são descascadas e picadas na hora e passam por dois processos de fritura para garantir a crocância.

Fritadeiras, três vazias e uma com batatas Blog Vem Por Aqui

Os irmão me contaram que têm planos de expandir. Os mais imediatos são o lançamento de um food truck e a implantação de uma loja em Londres, mas ninguém está com pressa. Querem, primeiro, consolidar o negócio e fazer tudo com qualidade.

English’s

Chegando perto do fim, mas em grande estilo, fomos até o English’s, um dos melhores restaurantes de frutos do mar da cidade. E não é moleza estar entre os melhores numa praia.

Fachada do restaurante com garçom na mesa de uma moça Blog Vem Por Aqui

Fomos recebidos com ostras fresquíssimas e um vinho verde português para acompanhar.

Prato branco com ostra e, em frente, tacinha de vinho Blog Vem Por Aqui

Como ainda não provei nenhum fish & chips, estou pensando seriamente em ir, de novo, até lá. Parece aqueles restaurantes antigões, que a mãe e o pai adoram voltar quando querem uma refeição certeira e com um pouquinho de glamour, mas não tinha nada de empolado e está longe de ser caríssimo. O menu com dois pratos sai a £ 19,50. A atriz Judi Dench é fã.

Boho Gelato

Fechamos provando cinco sabores da Boho Gelato. Confesso que a sorveteria me animou menos que os outros lugares que visitamos porque tenho provado muitos sorvetes em BH que seguem técnicas italianas, como a Boho, e têm altíssima qualidade.

Foto da fachada da sorveteria e pessoas na porta, ouvindo explicações Blog Vem Por Aqui

Veja bem, não é que fosse ruim, só não me trouxe nada inesperado ou muito acima do que tenho testado por aí.

O sour cherry foi o sabor preferido da maioria, mas o de caramelo salgado e manteiga de amendoim e o de pistache também acabaram rápido.

Para quem gosta de inovações, tem um de pipoca amanteigada que é bem gostosinho e lembra mesmo pipoca.

Fourth and Church

Outro lugar que visitei com calma, levada pela Karen, foi um pub na Church Road, que funciona como mercearia e até como espaço para eventos.

O Fourth and Church tem pratos deliciosos de inspiração mediterrânea, antepastos e ótimos tira-gostos (Deus me defenda de ter que um dia traduzir essa palavra para o inglês!!!).

Estante cheia de vinhos do bar Blog Vem Por Aqui

Fiquei bicando a entrevista da Karen com um dos donos, Paul Morgan.

Karen sentada sorrindo diante de Paul Blog Vem Por Aqui

Depois, biquei o encontro dela com amigos e tive a chance de passar algumas horas por lá, testanto entradinhas como a burrata e o salmão defumado.

Pratinhos com tira-gosto diante de uma taça de vinho Blog Vem Por Aqui

As taças de vinho começam em £ 5,95 e as garrafas partem de £ 18,95.

Outros lugares por onde passamos durante o tour:

Vou falar num próximo post sobre lugares para sair e beber na cidade, mas vale registrar alguns outros restaurantes que estavam no caminho do tour.

O Silo é um dos mais famosos (e controversos) de Brighton. O lugar ficou conhecido internacionalmente como o primeiro restaurante de desperdício do mundo. A polêmica aconteceu porque, há alguns anos, o chef andou dizendo numa entrevista que os moradores da cidade não entendiam a sua comida. Cat garante que Douglas McMaster é muito apaixonado pelo que faz e que a qualidade do que é servido por lá realmente compensa.

Uma opção que vai na direção oposta é o The Gallery, restaurante da Great Britain Metropolitan College, a escola técnica de culinária, que é como um dos nossos Senac. Ali, dá pra comer muito bem, pagando pouco.

Dentro do Open Market você ainda pode aproveitar para conhecer o grego Kouzina. A matriarca da família prepara a massa philo servida por eles todas as noites.

O Isaac At é um lugar sofisticado, tocado por uma garotada de 20 e poucos, apaixonada por culinária, que também valoriza a produção local e a sazonalidade. Por isso, trocam o menu com frequência.

Indicações da Cat (sócia da Brighton Food Tour)

Padaria: Além da The Flour Pot, Sugardough

Vegan: pizza do Purezza, donuts da Glazed, bolos da Black Mocha e café da The Longhouse

Mexicano: Carlito Burrito

Comida típica inglesa: salsichas da Brighton Sausage Co. e sunday roast (prato típico do almoço de domingo) do The Park Crescent Pub.

Indicações da Karen (apresentadora do The Food and Drink Show):

Noodles e comida asiática em geral: Unithai (mercadinho que também serve refeições)

Italiano:Donatello (um dos mais antigos e tradicionais, com ótima relação custo benefício)

Padaria: Gail’s Bakery

Da moda:Etch e 64 degrees

Indiano: Chilli Pickle

Indicações de colegas e professores do ELC:

Japoneses:Moshimo e Bincho Yakitori

Indiano:Planet Indian

Coreano:O’shio

*** Érika Gimenes participou do Very Independent Brighton (V.I.B) a convite da Brighton Food Tours.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *