Fotos: Marco Pomarico
BalaioÁsia
07/02/2017 | Nenhum comentário

Três cidades incríveis para fotografar

Pedir para um fotógrafo que já viajou o mundo escolher um lugar preferido para fotografar é como pedir para uma mãe escolher o filho que mais gosta. Mas, assim como elas se entregam quando começam a adjetivar as crias, Marco Pomarico também chegou onde eu queria quando começamos a falar sobre o assunto.

É difícil, mas o Mianmar foi muito forte. A Índia sempre.O Nepal... O interior da China é mais interessante que a capital. Tem uma cidadezinha que chama Ping Yao. Essa cidade foi uma das três mais legais que eu já fotografei na vida e que, dificilmente, vai sair do ranking.”

A partir daí, Marco topa me dizer quais são as cidades mais interessantes que registrou. Ele não estabelece uma ordem de preferência. Como começou com Ping Yao, fala um pouco mais sobre ela.

É uma cidade da China medieval. Então, é toda de madeirinha. Dentro da cidade é madeira e cimento cru.”

Considerada pela Unesco um dos patrimônios culturais da humanidade, Ping Yao foi construída no século XIV e já foi sede da vida financeira do país.

Senhor colocando uma tábua num casebre em Ping Yao Blog Vem Por Aqui

A prosperidade econômica ficou no passado, mas seus prédios guardam a história arquitetônica da China. É como se o tempo tivesse parado por ali e foi essa sensação de estar num mundo que só existe em câmera lenta que Marco captou.

Senhor passando de bicicleta em frente a um prédio antigo com portas de madeira gastas Blog Vem Por Aqui

O Viagem Afora também tem registros muito bonitos da cidade.

Outro patrimônio cultural da humanidade ganhou os olhos e o coração desse fotógrafo que, como eu contei aqui, foi um dos primeiros brasileiros a aderir ao movimento nômade digital.

Pescadores dentro de bascos Blog Vem Por Aqui

Ele fala com empolgação ao descrever Hoi An, no Vietnã.

Tem um mercado de peixe que acontece todo dia, de manhã, que é um absurdo. Uma das experiências mais bonitas que você pode ter em termo de mercado de rua na Ásia.”

Outra característica interessante dessa cidade vietnamita é a mescla de referências estrangeiras. Entre os séculos VII e X, Hoi An já era reconhecida como um importante mercado de especiarias, o que atraia gente de toda parte.

Mercado de Hoi An com frutas e verduras nas barracas e duas mulheres dentro de uma delas Blog Vem Por Aqui

Em 1535 um navegador português ajudou a consolidar a vocação globalizada, transformando Hoi An num dos principais portos do sudeste asiático. Além dos próprios portugueses, a presença de japoneses, holandeses e indianos era comum por ali.

Pessoa puxando uma carroça em Hoi An Blog Vem Por Aqui

Outra tradição do lugar são as alfaiatarias. Em cada portinha há uma oficina de costura pronta para fazer roupas sob medida em até 24 horas.

Senhora com trajes típicos costurando na máquina Blog Vem Por Aqui

Dá pra levar modelos de revistas ou escolher entre as opções dos próprios alfaiates. O blog português Alma de Viajante contou sobre essa experiência. Lalá Rebelo e o Mochilão Trips também passaram por Hoi An.

Se você achou que fazer roupa numa cidade vietnamita é uma experiência exótica é porque ainda não ouviu Marco explicar o que faz de Pushkar uma cidade famosa na Índia.

É por causa da feira de camelos, a maior feira de camelos do mundo. Vem gente do Rajastão inteiro e o Rajastão é cheio de etnias. Vira um festival de gente, de camelos, de tudo que você pode imaginar. Cada um vestido de um jeito e cada um de um lugar diferente.”

Feira de camelo com animais na frente e roda gigante ao fundo Blog Vem Por Aqui

Não bastasse isso, Pushkar também é um ponto importante de peregrinação religiosa. O Ideias na Mala falou dessa vertente.

Mulheres com roupas coloridas na índia Blog Vem Por Aqui

Essa mistura de fé, camelos e gente de todo tipo foi magnética para as lentes de Marco e rendeu registros cheios de cores, vibrantes como toda Índia.

Homens com trajes típicos coloridos e turbantes Blog Vem Por Aqui

Não sou nenhuma especialista em fotografia ou arte, mas esse é um ponto muito interessante que vi no trabalho do Marco. Repare como as cores refletem a alma dos lugares.

Mosaico com três fotos, embaixo Ping Yao, em cima Hoi An e Pushkar Blog Vem Por Aqui

Meio desbotadas em Ping Yao, bem naturais em Hoi An e saturadas em Pushkar. Como meu mundo é o das letras, reverencio muito quem tem o domínio das imagens. Parabéns, Marco!

* Além de ler o primeiro post lá embaixo, para conhecer mais do trabalho do Marco você pode acessar esse link.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *